As emoções são coisas complexas. No entanto, para ajudar os nossos filhos a se tornarem emocionalmente inteligentes, precisamos ajudá-los a aprender a compreender as diferentes emoções, para que possam lidar melhor com estas.

É importante aprender a gerir as emoções desde a mais tenra idade

Muitos pesquisadores e psicólogos concordam que, quando ensinamos as crianças sobre emoções desde a mais tenra idade, damos ferramentas importantes que as ajudam a navegar pelas emoções. Estudos mostraram que as crianças prosperam quando são ensinadas a identificar as suas emoções e a tratá-las como normais. Em outras palavras, quando ensinamos aos nossos filhos que as emoções são normais, é mais fácil para eles expressá-las, logo reduzimos formas “inadequadas” de exteriorização.

O estado emocional de uma criança tem um grande impacto no seu estado social e psicológico. James Gross, um dos principais pesquisadores em regulação da emoção, acredita que se pode aprender a regular as emoções. Os seus estudos mostraram que podemos aprender a alterar as emoções que experimentamos, quando e como são vivenciadas. Muitos outros pesquisadores concordam que aumentar a consciência das crianças sobre as emoções pode ajudá-las a aprender a expressar essas emoções sem se voltar para crises ou agressividade.

Aqui estão algumas dicas para ajudar a promover a inteligência emocional de seu filho:

1. Abrace até as emoções mais sombrias.

As emoções não são fáceis de definir, especialmente para as crianças. Uma criança pode saber que está sentindo “algo”, mas não necessariamente saberá o que significa esse “algo”. Em outras palavras, os nossos filhos não podem aprender a identificar as suas emoções se não souberem quais são essas emoções.

Abraçar as emoções significa ajudar o seu filho a compreender que as emoções são uma parte normal da vida. Significa usar recursos adequados à idade para conversar com a criança sobre emoções. Quer dizer aproveitar as situações quotidianas para ajudar o seu filho a entender melhor e dar nome às suas emoções. Peça-lhes que falem sobre o seu momento mais feliz naquele dia. Pergunte o que os deixou tristes.

Mas lembre-se de que se tornar o treinador emocional dos nossos filhos começa por aprender como gerir as próprias emoções primeiro. Quando abraçamos as nossas emoções e conversamos com os nossos filhos sobre elas, mostramos como as gerir.

2.Ajude o seu filho a compreender como as emoções mudam o corpo.

Sentimos emoções em certas partes do nosso corpo. É por isso que o seu filho vai falar sobre dor de barriga, dor de cabeça ou até mesmo vomitar ao se deparar com uma situação que induz à ansiedade. Um estudo relativamente recente descobriu que todos nós experimentamos as mesmas sensações corporais em resposta às nossas emoções. Ajudar o seu filho a se tornar mais consciente de como as emoções se manifestam no seu corpo – ficar com as mãos suadas, o coração bater mais rápido? Ficar com frio na barriga? Ensinar o seu filho a estar ciente do que ele próprio desencadeia as suas emoções pode tornar mais fácil lidar com as emoções difíceis antes que elas fiquem fora de controlo.

3. Fale sobre a origem das emoções.

As emoções são a nossa maneira de reagir a estímulos externos. O seu filho pode ficar mais ansioso antes de participar a certas atividades ou pode ter dores de barriga sempre antes da aula de natação.

Todos nascemos com algumas emoções, mas aprendemos outras emoções secundárias com o nosso ambiente. A maneira como reagimos às emoções dos nossos filhos tem um impacto na sua inteligência emocional. Uma criança que é criticada por demonstrar certa emoção, por exemplo a raiva, pode desenvolver uma emoção secundária, como vergonha, todas as vezes que fica com raiva.

Falar sobre o que desencadeia emoções também é importante porque ajuda a mostrar ao seu filho que está lá e que pode ajudá-lo a encontrar uma solução. Quando ajudamos os nossos filhos a entender o que impulsiona as suas emoções, aumentamos a sua consciência sobre o que as desencadeia e consequentemente  como lidar com a situação. 

4. Dê ao seu filho as ferramentas para expressar emoções.

Proporcionar ao seu filho um ambiente seguro para expressar emoções ensina-o a lidar sozinho com essas emoções. Existem vários recursos e técnicas que fornecem dicas práticas para ajudar as crianças a lidar com emoções fortes, como a raiva e o medo, de maneiras socialmente aceitáveis.

O que devemos lembrar ao desenvolver a inteligência emocional dos nossos filhos é que, quando criamos um ambiente seguro no qual eles podem expressar as suas emoções, damos ferramentas de que precisam para gerir essas emoções por si próprios.

 

Bibliografia:
Sanya, P. 4 steps to increase your child´s emotional inteligence. PshyCentral, 2020. Disponível em https://psychcentral.com/news Acesso em 7/09/2020.

 

Portes Grátis
em toda a Loja Online!

É mesmo verdade! Todas as tuas encomendas serão de transporte gratuito!

+ 5% Desconto na tua 1ª Compra!

Compra Agora