ORIGEM DO PROJETO

No ano letivo 2012/2013, realizámos um rastreio no Agrupamento de escolas do Viso (Viseu) com objetivo de detetar precocemente perturbações específicas da aprendizagem e outras possíveis perturbações de Neurodesenvolvimento que condicionassem nomeadamente o funcionamento académico. A amostra foi constituída por 647 crianças (522 do 1º ciclo e 125 do último ano do ensino pré-escolar). Da amostra total, 63 crianças (44 do 1º ciclo e 19 do ensino pré-escolar) apresentaram resultados que sugerissem uma avaliação psicológica no âmbito das perturbações específicas da aprendizagem ou de perturbações de Neurodesenvolvimento.

Após estas mesmas avaliações, os resultados mostraram que os casos que evidenciavam maior número de critérios de diagnóstico era o de Perturbação de Hiperatividade com défice de atenção (PHDA) (com ou sem comorbilidade com perturbações específicas da aprendizagem). Decorrente deste mesmo estudo, foi interessante observar que os 63 casos analisados, apresentavam um baixo auto-conceito.

A partir do estudo, decidimos elaborar um programa que tivesse como foco a estimulação das capacidades cognitivas, das competências sócio-emocionais e da atenção plena. Com relevo na capacidade de atenção, tendo por base programas como: PIAAR-R, Sistema REHACOM, Método EOS - Programa de Reforço da atenção e memória de J.G.Vidal e D.G.Manjón (Espanha), Programa ENFOCATE, Escucha - Programa de estimulação da memória auditiva e Memória 65+ - Programa de Estimulação da memória para a população idosa (publicações do grupo espanhol Albor-Cohs), plataforma Cogweb, Nunes B. e Pais J. (2006). Doença de Alzheimer - Exercícios de Estimulação. Lisboa: LIDEL, Edições Técnicas, Lda., Trail Making Test, Teste de cancelamento Toulouse Pierron. Ao nível das competências sócio-emocionais e da atenção focada: exercícios com base no Modelo de Inteligência Emocional de Mayer e Salovey (1997) (Social Emotional Learning), Still Quiet Place (Saltzman, 2014), The MindUp C., Mindfulness-Based Stress Reduction (MBSR) de Jon Kabat-Zinn (Penman & Williams, 2011) e Mindfulness-Based Cognitive Therapy (MBCT) de Zindel Segal (Williams & Segal, 2014).