Existem alguns sinais de aviso que podem indicar um problema que requer atenção especializada. Para a sua correta avaliação é necessária uma equipa multidisciplinar composta, por exemplo por médicos de família, psiquiatras e psicólogos.

O diagnóstico é baseado em critérios definidos pela Associação Americana de Psiquiatria (APA) e englobam ansiedade e preocupação excessivas sobre algumas atividades ou alguns eventos. Os pacientes têm dificuldades em controlar as preocupações que ocorrem por mais dias do que não por um período igual ou superior a 6 meses. As preocupações devem também devem estar associadas a 3 ou mais sintomas:

agitação ou sensação de nervosismo ou tensão; cansaço fácil; dificuldade de concentração; irritabilidade; tensão muscular; alterações de sono. Tal como já foi referido é importante que haja uma correta avaliação para que possa fazer um tratamento farmacológico e uma psicoterapia. Para além deste seguimento pode fazer algumas alterações ao seu estilo de vida para encontrar algum alívio nos sintomas de ansiedade:

 

  1. Meditação.

Os estudos mostram que reduz os sintomas de ansiedade e permite relaxar e acalmar a mente. Experimente já, não perca mais tempo! Verifique no nosso blog onde disponibilizamos uma prática de meditação guiada gratuita. 

  1. Anote o seu diálogo interno. 

Sabia que passa muito tempo a falar consigo? e o que diz para si próprio? os seus pensamentos exercem muito poder sobre si: podem ser bastante inspiradores e reconfortantes, ou então limitadores e negativos. Escreva o que está a pensar perante uma situação que o fez sentir desconfortável (positivo ou negativo). O facto de escrever permite distanciarmo-nos de um assunto difícil, e assim podemos avaliá-lo com mais objetividade. 

  1. Pratique exercício físico. 

Estudos científicos apontam para a libertação de hormonas e neurotransmissores que vão dar uma sensação de bem-estar após a prática de exercício físico. 

  1. Dormir torna-nos mais felizes. 

As perturbações de ansiedade interferem muitas vezes com a qualidade e quantidade de sono. Existem algumas dicas que podem ajudar a regular o sono: ir para a cama à mesma hora (manter uma rotina de sono); fazer exercício físico de preferência à tarde (não muito próxima da hora de ir para a cama); evitar dormir sestas (de preferência de menos de 1h de tempo) depois das 15h da tarde; evite beber bebidas alcoólicas ou fazer refeições pesadas ao jantar; tente relaxar com um banho quente ou use respirações profundas conscientes; mantenha um quarto fresco, escuro e silencioso. 

  1. Evite a cafeína

A cafeína é um estimulante que pode afetar o sono. Tente reduzir aos poucos, não precisa de fazer nada que ainda aumente a ansiedade. 

  1. Hábitos alimentares saudáveis

Inclua carboidratos na sua alimentação, tais como: aveia, quinoa, pão integral. Os carboidratos podem aumentar a quantidade de serotonina no cérebro, o que tem um efeito calmante. Beba muita água, evite a desidratação que pode levar a sentimentos de irritabilidade. 

  1. Respiração abdominal

Conhecida como a respiração “do relaxamento”. Consiste em inspirar e encher o abdominal e expirar para a barriga voltar ao normal. Esta prática consciente ajuda na diminuição dos sintomas de stress. Para empoderar o exercício, pode colocar as mãos no abdómen e assim ganhar mais consciência do exercício. 

Confie no tratamento orientado pelo seu médico especialista e psicólogo, pois as perturbações de ansiedade têm cura, mas não se esqueça que o mais importante é estar verdadeiramente comprometido com a sua saúde mental. 

 

Referências bibliográficas: 

American Psychiatric Association (2014). DSM-V: Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais (5ª Ed.). Artmed Editores.

PsychCentral (2021).  Living with an Anxiety Disorder: Home Remedies for Relief https://psychcentral.com/