Um novo estudo realizado com idosos que moram em Los Angeles, Nova York, Pittsburgh ou St. Louis conclui que a perturbação depressiva major nos pacientes já diagnosticados, não está a piorar com a pandemia. Investigadores de cinco instituições, incluindo a Universidade da Califórnia em Los Angeles, participaram do estudo. Descobriram que os adultos mais velhos, que já estavam a participar em estudos em sobre depressão, também exibiam resiliência ao stress do distanciamento físico e do isolamento.


As descobertas aparecem na revista, The American Journal of Geriatric Psychiatry: “Pensamos que eles seriam mais vulneráveis ​​ao stress do COVID porque são, a população mais vulnerável”, disse Helen Lavretsky, M.D., professora residente em psiquiatria e ciências biocomportamentais da UCLA. Curiosamente, idosos com depressão parecem ter melhor resiliência do que muitos outros porque aprenderam a conviver com a perturbação. Lavretsky acrescenta: “o que aprendemos é que adultos mais velhos com depressão podem ser resilientes. Disseram-nos que lidar com a depressão crónica ensinou-os a ser resilientes”.

Para o estudo, os pesquisadores realizaram entrevistas com os participantes, todos com mais de 60 anos, com idade média de 69 anos, durante os primeiros dois meses da pandemia. Usando duas avaliações de triagem de depressão e ansiedade, PHQ-9 e PROMIS, os pesquisadores não encontraram mudanças nos resultados de depressão, ansiedade ou suicídio dos participantes antes e durante a pandemia.

 

Conclusões:

Com base nas conclusões, os autores do estudo escreveram que políticas e intervenções para fornecer acesso a serviços médicos e oportunidades de interação social são necessárias para ajudar os idosos a manter a saúde mental e a qualidade de vida enquanto a pandemia continua.

 

Os investigadores explicam que muitos participantes relataram que a sua qualidade de vida é mais baixa e que temem que a sua saúde mental seja prejudicada com o contínuo distanciamento físico. Acrescentam que mais pesquisas são necessárias para determinar o impacto da pandemia ao longo do tempo.

 

Acrescentaram que as descobertas oferecem lições para outras pessoas enquanto resistem à pandemia. “Essas pessoas mais velhas que vivem com depressão e estão sob stress há mais tempo do que muitos de nós. Poderíamos aproveitar a sua resiliência e aprender com ela”. O estudo identificou diversas estratégias de autocuidado utilizadas pelos participantes, que incluíam manter horários regulares; distração de emoções negativas com hobbies, tarefas domésticas, trabalho ou exercício; e usar a atenção plena para se concentrar nas necessidades imediatas, sem pensar além do presente.

 

Os autores enfatizaram ainda que o acesso a cuidados de saúde mental e grupos de apoio, bem como a interação social (tecnologia virtual pode ajudar) continua são necessários para ajudar os adultos mais velhos a enfrentar a pandemia.

 

Bibliografia: Nauert, R. Many Seniors with Depression Faring well During  Pandemic. PshyCentral, 2020. Disponível em https://psychcentral.com/news Acesso em 28/09/2020.

 

Portes Grátis
em toda a Loja Online!

É mesmo verdade! Todas as tuas encomendas serão de transporte gratuito!

+ 5% Desconto na tua 1ª Compra!

Compra Agora